RSS

Blog

Carth Pro

 

COMPOSTO EXCLUSIVO PARA PERDA DE PESO E DESEMPENHO FÍSICO

 

INDICAÇÕES: 

- Acelera o metabolismo;

- Auxilia na perda de peso;

- Reduz fadiga e aumenta o índice de atenção;

- Estimula o sistema nervoso central;

- Melhora o desempenho físico.

 

COMPOSIÇÃO: 

 

  • Óleo de Cártamo

Os nutrientes presentes no óleo conseguem obrigar o organismo a fazer a Lipólise, ou seja, queimar o estoque de gordura já existente para gerar energia para o funcionamento do corpo. Além de reduzir o apetite, o óleo de cártamo contém ácido Linoléico, uma substância que retarda a liberação de gordura para as células. Outra vantagem são as propriedades anti-inflamatórias do produto, que ajudam a diminuir a celulite e a retenção de líquido.

 

  • Cafeína

Autores afirmam que pessoas que utilizam a cafeína se sentem mais fortes e competitivas, acreditam que podem realizar um esforço mais prolongado, neste sentido, a utilização de alguns suplementos nutricionais e substâncias com potencial ergogênico tem se mostrado eficiente para retardar o aparecimento da fadiga e aumentar o poder contrátil do músculo esquelético e/ou cardíaco, aprimorando, portanto, a capacidade de realizar trabalho físico, ou seja, a performance atlética. O aumento na oxidação da gordura e redução na oxidação de carboidratos (CHO). Acredita-se que a cafeína gera um aumento na mobilização dos ácidos graxos livres dos tecidos e nos estoques intramusculares, aumentando a oxidação da gordura muscular e reduzindo a oxidação de CHO. Acredita-se que a cafeína poderia ser utilizada como um potente recurso ergogênico nutricional durante o exercício físico, a fim de melhorar o desempenho tanto de atletas amadores e profissionais como praticantes em geral.

 

  • Vitamina E

A vitamina E (tocoferol) é um nutriente lipossolúvel com função principal de proteger as cadeias de Ácidos Graxos poliinsaturados da cadeia longa das membranas celulares e as lipoproteínas contra a oxidação, é uma vitamina de estrema importância nos estágios iniciais da vida, no desenvolvimento e na manutenção da homeostase. Estudos indicam que a deficiência de vitamina E esta diretamente relacionada com a arteriosclerose e diabetes (RAMALHO et al. 2007).

 

 

RECOMENDAÇÃO DE USO: Ingerir 1 cápsula ao dia, antes da atividade física.

 

ADVERTÊNCIA: "Pessoas que apresentem doenças ou alterações fisiológicas, mulheres grávidas ou amamentando (nutrizes) deverão consultar o médico antes de usar o produto".

 

0001154_carth-pro-com-30-capsulas_300

Shape Fit

 

COMPOSTO INOVADOR PARA PERDA DE PESO

 

0001150_shape-fit-com-60-capsulas

 

 

INDICAÇÕES: 

- Auxilia na perda de peso;

- Reduz a retenção de líquidos, diminuindo a celulite;

- Auxilia na redução do LDL (mau colesterol);

- Reduz a vontade de ingerir carboidratos;

- Reduz os picos de insulina no organismo, diminuindo a vontade de ingerir doces. 

 

 

COMPOSIÇÃO: 

 

  • Óleo de Cártamo

Os nutrientes presentes no óleo conseguem obrigar o organismo a fazer a Lipólise, ou seja, queimar o estoque de gordura já existente para gerar energia para o funcionamento do corpo. Além de reduzir o apetite, o óleo de cártamo contém ácido Linoléico, uma substância que retarda a liberação de gordura para as células. Outra vantagem são as propriedades anti-inflamatórias do produto, que ajudam a diminuir a celulite e a retenção de líquido.

 

  • Óleo de Coco 

Os triglicerídeos presentes no óleo de coco tem um baixo grau de insaturação e consiste em dois ácidos graxos majoritários: Ácido Miristico e Ácido Laurico. Esses ácidos reduzem os LDL (mau colesterol) e aumentam o HDL (bom colesterol). Estudos revelaram também que esse óleo de coco é capaz de queimar calorias, contribuindo assim na perda de peso.

 

  • Óleo de Chia

Fonte natural de Ômega 3 (65%), ele regula os níveis de leptina, hormônio que age no sistema nervoso central, mais especificamente no hipotálamo, inibindo o consumo alimentar e estimulando o gasto energético através do consumo das reservas de gordura.

 

  • Vitamina E

A vitamina E (tocoferol) é um nutriente lipossolúvel com função principal de proteger as cadeias de Ácidos Graxos poliinsaturados da cadeia longa das membranas celulares e as lipoproteínas contra a oxidação, é uma vitamina de estrema importância nos estágios iniciais da vida, no desenvolvimento e na manutenção da homeostase. Estudos indicam que a deficiência de vitamina E esta diretamente relacionada com a arteriosclerose e diabetes (RAMALHO et al. 2007).

 

  • Picolinato de Cromo 

Picolinato de cromo é um mineral que inibe o apetite por doces, sendo um grande aliado nas dietas de emagrecimento, pois o mesmo diminui essa vontade de ingerir carboidratos, muitas vezes descontroladas, ajudando a manter normais os níveis de glicose no sangue. Ele potencializa a ação da insulina, cuja função é transportar a glicose presente na corrente sanguínea para as células, transformando-a em energia assim evitando o aumento da reserva energética, que são as gorduras estocadas no organismo.

 

 

RECOMENDAÇÃO DE USO: Ingerir 1 cápsula antes das principais refeições.

 

0001152_shape-fit-com-60-capsulas

 

ADVERTÊNCIA: "Pessoas que apresentem doenças ou alterações fisiológicas, mulheres grávidas ou amamentando (nutrizes) deverão consultar o médico antes de usar o produto".

 

 0001151_shape-fit-com-60-capsulas

 

 

 

Gengibre em Cápsulas

 

Zingiber officinale

 

 

O Gengibre é bastante conhecido na Europa, Ásia e América por suas propriedades antieméticas, digestivas e termogênicas.

É um fitoterápico rico em vitamina C, Proteínas, Cálcio, Ferro, Magnésio, Fósforo, Potássio, Sódio, Zinco, Cobre, Manganês, Selênio, Vitamina C, Tiamina, Riboflavina, Niacina, Ácido Pantotênico, Vitamina B6, Vitamina B12 e lipídios. O Gengibre, por sua ação termogênica, aumenta a temperatura do corpo e com isso ajuda na queima de gorduras totais e a aceleração do metabolismo.

O Gengibre estimula os sucos digestivos e neutraliza os ácidos. Ajuda aliviar as náuseas provocadas pela quimioterapia e irritação gástrica. É muito usado na medicina tradicional contra gripes, resfriados, dores de garganta e artrites.

 

Indicações

• Auxilia nas dietas de emagrecimento pois acelera o metabolismo;

• Profilaxia de náuseas e vômitos associados à cinesia (cinetose) e náusea pós-operatória. É indicado em casos de cólicas, dores de garganta, resfriados, náusea, gripe, bronquite, rouquidão, asma, reumatismo.

 

Dose usual: 200 a 400mg ao dia. 

 

 

Para maiores informações procure um de nossos farmacêuticos !

 

Aveia Coloidal

 

Hidratação e conforto de longa duração

  

 

Aveia Coloidal é um ativo cosmético de origem natural extremamente versátil. Seu diferencial está no processo de fabricação patenteado pela Oat Cosmetics, que aumenta a viabilidade de beta-glucana, ingrediente essencial para aumentar as ações hidratante, antiaging, calmante e auxiliar na limpeza da pele. O principal diferencial da Aveia Coloidal é ser um produto altamente versátil, pode ser aplicada em várias formulações com diferentes finalidades, em todos os tipos de pele e para todas as idades.

 

A aveia tem sido empregada como componente para tratamento da pele há muito tempo. O costume do banho de aveia para aliviar o ressecamento e prurido da pele é prática antiga e sua propriedade hidratante (assim como a capacidade de reduzir vermelhidão, prurido e ardência) tem sido comprovada em inúmeros estudos. 


A composição da aveia - doadora de maciez e suavidade à pele, em especial à irritada - , é rica em componentes como ácidos graxos e antioxidantes naturais, vitaminas B1, B2 e B5 e beta-glucanos, componentes extremamente ativos e cuja aplicabilidade ao tratamento da pele é muito extensa.


A forma coloidal, é muito mais biodisponível e liberadora de ativos para a pele e adequada para produtos orgânicos. Consiste em partículas ultrafinas obtidas por processos altamente especializados de moagem da semente inteira da aveia. 

 

Benefícios:

- Produto com certificado ECOCERT

- Antienvelhecimento

- Estimula colágeno reduzindo as rugas e linhas de expressão

- Excelente potencial hidratante a curto e longo prazo

- Calmante

- Cuidado especial para a pele do bebê

- Purificadora e redutora de oleosidade

- Indicado para peles irritadas, secas, sensíveis e acneicas

- Indicado para auxiliar no tratamento da dermatite atópica

  

 

Procure seu profissional de saúde e peça já sua formulação !!!

Pele: hidratação e desidratação

 

  • Pele

          Maior órgão do corpo humano: 15% do peso corporal ( aprox. 2 m2)

 

Funções:

 

  •          Sensorial (tato, dor e pressão).
  •          Proteção do Organismo.
  •          Barreira contra perda de calor.
  •          Barreira contra invasão de microrganismos.
  •          Barreira contra perda de água.
  •          Regula Temperatura Corporal: vasodilatação, vasoconstrição, glândulas sudoríparas.
  •          Produz vitamina D (Raios solares).
  •          Proteção contra os raios UV (Melanina).
  •          Excreção e absorção de substâncias.
  •          Proteção contra a agressões físicas e químicas.

 

Estrutura:

 

             A pele é formada por três camadas, bem unidas entre si. São elas:

 

- Epiderme

            É a camada mais externa da pele, aquela que você pode ver. Ela é formada, na sua superfície, por células achatadas, chamadas queratinócitos. Estas células chamam-se queratinócitos porque são ricas em uma proteína chamada queratina. É a queratina quem, entre outras substâncias, ajuda a evitar a desidratação, ou perda de água, do organismo. Isso porque esta proteína mantém as células mais unidas e, conseqüentemente, com menos espaço para ocorrer a evaporação da água.

            Mas a epiderme não tem só queratinócitos; existem nela outras células, chamadas melanócitos. Estas células produzem a melanina, outra proteína, de cor escura, responsável pela pigmentação da pele. A quantidade de melanina determina a cor da pele de cada um. Além disso, a melanina protege a pele dos efeitos nocivos do sol.

            A epiderme está em constante renovação: as células mais antigas são substituídas por outras mais novas.

 

 - Derme

            A derme é a camada do meio da pele. Ela mede de um a quatro milímetros. É formada por fibras e por grande quantidade de vasos sangüíneos e terminações nervosas.

            As fibras são produzidas por células chamadas fibroblastos. Essas fibras podem ser elásticas ou colágenas. As elásticas permitem que a pele volte ao normal após ser esticada. Já as colágenas conferem maior resistência à pele, formando uma rede que sustenta outras estruturas. Entre elas, os anexos cutâneos: pêlos, unhas, glândulas sebáceas e sudoríparas.

            As terminações nervosas (as extremidades dos nervos, a “pontinha” dos nervos), que estão localizadas na derme, recebem os estímulos do meio ambiente, e os transmitem ao cérebro, através dos nervos. Estes estímulos são traduzidos em sensações, como dor, frio, calor, pressão, vibração, cócegas e prazer.

 

Hipoderme

           

            A hipoderme é a terceira e última camada da pele. Esta camada é formada basicamente por células de gordura. Sendo assim, sua espessura é bastante variável...(depende se a pessoa é gordinha ou magrinha). Ela apóia e une a epiderme e a derme ao resto do seu corpo e permite que as duas primeiras camadas deslizem livremente sobre as outras estruturas do organismo. Além disso, a hipoderme mantém a temperatura do seu corpo e acumula energia para o desempenho das funções biológicas.

 

 

Fases relacionadas à idade:

            Alterações da pele no decorrer do tempo: perda de elasticidade e luminosidade, além do surgimento das rugas e flacidez.

 

- A partir dos 12 anos - Ocorrem alterações hormonais, pode surgir acne.

- Aos 20 anos - A pele apresenta-se uniforme quanto à cor, textura, firmeza, isenção de manchas e rugas.

- A partir dos 30 anos - Surgem as primeiras rugas e manchas.

- A partir dos 45 anos - Linhas de expressão e rugas acentuadas. Diminui a produção das fibras de colágeno e elastina. Ocorre perda em sua densidade, firmeza e elasticidade. Aparecem manchas sênis

- A partir dos 60 anos - As rugas acentuadas, a perda da elasticidade e da firmeza é perceptível e ela se torna muito mais fina, flácida, frágil, desidratada e desprotegida.

 

Tipos de pele:

 

- Pele normal:  Apresenta superfície lisa, flexível, lubrificante e umedecida. É aquela onde ocorre um equilíbrio entre o conteúdo hídrico e o conteúdo graxo.

- Pele oleosa: Apresenta emulsão tipo A/O. Aumento de secreção sebácea.

- Pele seca: Apresenta secreção sebácea insuficiente e secreção hídrica normal.

- Pele desidratada: Apresenta diminuição hídrica normal e secreção sebácea normal.

- Pele hidratada: Apresenta aumento de teor hídrico.

- Pele mista: Apresenta pele graxa na zona central do rosto (zona T) e pele alípica nas bochechas.

 

 

  • Hidratação Cutânea:

           

            Refere-se à hidratação da camada córnea.

            Para exercer a função protetora a pele precisa estar hidratada.

           

            A camada córnea é capaz:

- Fixar a água que transita por ela.

- Captar a água do exterior (cosméticos).

 

            O objetivo da hidratação é a retenção da água- equilíbrio do fator natural de hidratação (NMF).

 

  • Desidratação Cutânea:

            

               Refere-se a redução de água na camada córnea e consequente aumento de permeabilidade para alérgenos e irritantes.

 

  •          Causas externas:
  •          Clima frio e seco/ inverno;
  •          Uso de sabões e detergentes;
  •          Banho quente;
  •          Ambiente seco.

 

  •          Causas internas (fisiológicas):
  •          Pele seca: insuficiência da secreção sebácea (favorece a desidratação);
  •          Envelhecimento cutâneo;
  •          DNA- genético;
  •          Estresse.

 

  •          Causas patológicas
  •          Ictiose (dermatose caracterizada pela secura e aspereza da pele que resulta na descamação intensa);
  •          Dermatite (reações alérgico-inflamatória);
  •          Psoríase (doença crônica da pele - inflamação e hiperproliferação das células da sua camada mais superficial);
  •          Hipotireoidismo.

 

Medidas gerais para prevenção:

  • Evite banhos muito quentes e prolongados. Use água fria ou morna.
  • Os cremes e sabonetes com grânulos mais abrasivos (que promovem maior desgaste) funcionam como uma lixa e somente devem ser usados em regiões mais grossas da pele, como as palmas das mãos e plantas dos pés.
  • Buchas vegetais e esponjas não devem ser usadas todos os dias. Aliás, seu uso é geralmente desnecessário.
  • O uso de sabonete deve ser evitado na extensão do corpo todo ( usar nas áreas íntimas,  oleosas e com maior transpiração).
  • Não utilize esfoliantes para o corpo em excesso. O desgaste provocado pelos grânulos pode retirar a proteção de sua pele, ou até mesmo a sua pele! Cuidado para não utilizar produtos esfoliantes muito fortes em áreas mais sensíveis, onde a pele é mais fina. 
  • Os óleos não hidratam a pele. Eles apenas a impermeabilizam, evitando a perda de água. Ou seja, não substituem o uso dos hidratantes. Atenção: não adianta passar hidratante imediatamente depois do óleo, pois sua pele já estará impermeabilizada, o que impedirá a ação do hidratante.
  • Não se esfregue com toalhas ásperas. Use toalhas felpudas, principalmente nas áreas de dobras do corpo (dedos, pés, virilhas e axilas). Assim, você evita qualquer micose oportunista e preserva a umidade da sua pele.

 

 

Para maiores informações procure um de nossos farmacêuticos !

Pílula do Dia Seguinte

É um método de anticoncepção oral de emergência, deve ser usado após a relação sexual desprotegida.

O ideal é seu uso logo após a relação sexual, embora seja prescrita para ser usada até 72 horas depois da relação.

 

 

 

  • Como a pílula deve ser tomada?

Existem dois tipos. Um deles vem em dose única e o outro são dois comprimidos (um ingerido logo após a relação e outro após 12 horas). Seja qual for o tipo, deve ser usado no máximo 72 horas após a relação sexual. Quanto mais tempo demorar, menor será a eficácia. 

 

  • Como a pílula funciona?
A pílula do dia seguinte mais usada é composta por levonorgestrel 0,75 mg.
O levonorgestrel é uma progesterona sintética, que atua como método contraceptivo de emergência por três mecanismos:

- Inibe a ovulação.


- Impede a fertilização do óvulo pelo espermatozoide.


- Impede que óvulo fecundado se aloje no útero.

 
Dentre os três mecanismos acima, a inibição da ovulação é o mais importante, daí a necessidade de tomar a pílula o mais rápido possível.
 
Basicamente o que a pílula do dia seguinte faz é alterar o ciclo menstrual, antecipando o momento da menstruação. A maioria das mulheres menstrua cerca de 1 semana após o uso da pílula.
 
 
  •          Tomou a pílula do dia seguinte e não menstruou?

A menstruação costuma vir dias depois do uso da pílula. A descida da menstruação confirma a eficácia do tratamento. É muito comum que a menstruação não venha exatamente igual ao habitual, pois o ciclo foi interrompido pela metade.

Dependendo do momento do ciclo menstrual que a pílula do dia seguinte tenha sido tomada, a menstruação pode demorar um pouco mais de 1 semana para descer.  Poucos dias de atraso não são motivo para pânico. Porém, se a menstruação não tiver vindo 3 a 4 semanas após o uso da pílula do dia seguinte, a paciente deve fazer um teste de gravidez, pois, nestes casos, é preciso começar a considerar a hipótese de falha da pílula.

 

  •          Após utilizar a pílula, é preciso continuar tomando a pílula anticoncepcional?

Primeiro espere vir a menstruação e comece a tomar uma nova cartela de pílula anticoncepcional. Mas não faça sexo desprotegido, a pílula do dia seguinte não tem efeito cumulativo.

 

  •          A pílula funciona como um abortivo?

Não. Ela age antes que a gravidez ocorra. Se a fecundação ainda não aconteceu, o medicamento vai dificultar o encontro do espermatozóide com o óvulo. Agora, se a fecundação já tiver ocorrido, irá provocar uma descamação do útero, impedindo a implantação do ovo fecundado. Caso o ovo já esteja implantado, ou seja, já tenha iniciado a gravidez, a pílula não tem efeito algum. 

 

  •          Ela pode causar efeitos colaterais?

Sim. O mais frequente deles é a alteração no ciclo menstrual e do tempo de ovulação. Em outras palavras, vai ficar impossível calcular o período fértil e o dia da menstruação será um verdadeiro enigma. Além disso, dor de cabeça, sensibilidade nos seios, náuseas e vômitos são sintomas comuns. No caso de vômito ou diarréia nas duas primeiras horas após a ingestão, a dose deve ser repetida. Quem tem organismo sensível a medicamento e está tomando a pílula com indicação médica deve pedir a indicação de um remédio contra enjoos para tomar ao mesmo tempo. 

 

  •          Existe contraindicação?

A pílula é contra-indicada para quem sofre de alguma doença hematológica (do sangue), vascular, é hipertensa ou obesa mórbida. Isso porque a grande quantidade de hormônio pode provocar pequenos coágulos no sangue que obstruem os vasos. 

 

  •          Se tomar repetidas vezes, ela perde o efeito?

Ela não perde o efeito, mas o risco de engravidar aumenta. Normalmente, ele já é de 15% se você tomar depois de 24 horas de transar, contra uma média de 0,1% da pílula anticoncepcional comum. Portanto, ela não é tão efetiva quanto os métodos de controle de natalidade tradicionais, como também porque a dose de hormônios contida na mesma é mais elevada do que nos anticoncepcionais comuns, podendo causar efeitos colaterais graves se usada repetidamente.

 

  •          A pílula do dia seguinte é também um método contraceptivo?

Não. Como o próprio nome diz, ela deve ser usada em casos excepcionais e não como um anticoncepcional de rotina, como muitas mulheres estão fazendo. A dose alta de hormônio do medicamento, cerca de 20% a mais do que o existente em uma drágea de anticoncepcional, aumenta o risco de efeitos colaterais. 

 

  •          Mesmo tomando essa pílula é possível engravidar?

Sim. Como todo método, há risco de falha. Como já foi dito, quanto mais cedo a pílula for tomada, maior a sua eficácia. 

 

  •          O uso pode afetar o aparelho reprodutor? 

Pode.  A curto prazo causa uma verdadeira revolução na produção hormonal da mulher. A longo prazo, depende da quantidade de vezes que a pílula do dia seguinte foi usada. Quanto mais frequente, maiores os riscos. Caso ocorra a gestação ectópica, a mulher poderá perder uma trompa e isso dificultará uma futura gestação. 

 

 

Para maiores informações procure um de nossos farmacêuticos !

 

Anticoncepcionais Injetáveis

É um método contraceptivo que possui em sua fórmula a combinação de progesterona ou associação de estrogênios, com doses de longa duração. Deve ser aplicada na região glútea. A injeção pode ser mensal ou trimestral.

 

 

Os anticoncepcionais injetáveis mensais possuem as mesmas vantagens e desvantagens da pílula anticoncepcional. Já os injetáveis trimestrais, se diferem:

 

  •          Vantagens :

- Aplicados a cada 3 meses.

- O fluxo menstrual pode diminuir devido a maior quantidade de hormônios no método contraceptivo.

-  Possui efeitos benéficos, como alívio da menstruação e melhora da anemia, redução dos sintomas associados à endometriose, dor pélvica crônica, redução do câncer de endométrio e possível diminuição nas crises de anemia falciforme.

 

  •          Desvantagens:

- Nos primeiros três meses é comum alterações nos padrões de menstruação e, depois de  um ano de uso ausência de menstruação, sangramento raro ou irregular.

- Aumento de peso, dores de cabeça.

- O retorno da fertilidade (capacidade de engravidar) ocorre vagarosamente.

 

Início das Aplicações

Para as mensais, a primeira aplicação do anticoncepcional deve ser realizada no primeiro dia do ciclo menstrual (podendo acontecer no máximo até o 8º dia). A segunda aplicação deve ocorrer 30 dias depois, com tolerância de aproximadamente três dias, nos casos dos preventivos mensais.

Para as trimestrais devem ser administradas (injeção muscular profunda, que deve ser aplicada por um profissional de saúde habilitado) até o quinto dia do ciclo menstrual. As doses seguintes devem ser dadas a cada 90 dias. O local da injeção não deve ser massageado ou aquecido com bolsa de água-quente, para não acelerar a absorção do produto.

 

Mecanismo de ação

                O anticoncepcional em injeção possui o mesmo mecanismo de ação das pílulas, pois ele suspende a ovulação, reduz a espessura endometrial e espessa o muco cervical. O fluxo menstrual pode diminuir devido a maior quantidade de hormônios no método contraceptivo.

 

Efeitos Colaterais

                A injeção anticoncepcional também pode causar dor de cabeça, acne, alterações do humor, redução da densidade mineral óssea, vertigens e aumento de peso.

                Entretanto, possui efeitos benéficos, como alívio da menstruação e melhora da anemia, redução dos sintomas associados à endometriose, dor pélvica crônica, redução do câncer de endométrio e possível diminuição nas crises de anemia falciforme.

 

 

 

Anticoncepcionais Orais

Os anticoncepcionais hormonais orais, também chamados de pílulas anticoncepcionais são esteróides (hormônios) utilizados isoladamente ou em associação com a finalidade básica de impedir a concepção.

É um método contraceptivo muito confiável, com uma taxa de sucesso ao redor dos 99%. Além de impedir a gravidez, os anticoncepcionais também são benéficos em outras situações:

  •          Tratamento do hiperandrogenismo (excesso de hormônio masculino)
  •          Dismenorreia (cólica menstrual)
  •          Menorragia (excesso de menstruação)
  •          Tensão pré-menstrual
  •          Acne severa

 

 

TIPOS DE PÍLULA:

Classificam-se:

  •          Minipílula ou Contraceptivos orais de progestogênio:

Constituída por progestogênio isolado. Recomendadas para mulheres que estão amamentando ou que tem contra-indicação para usar estrogênios,  com doses baixas de progestogênios, quase a metade do que é usado nos anticoncepcionais orais combinados. Ex: Micronor®, Norestin®, Nortrel®, Minipil®

 

  •           Combinadas: estrogênio associado a um progestogênio

 

  •          Monofásicas Combinadas: encontradas em embalagens de 21comprimidos, todos os comprimidos ativos têm a mesma composição e dose.  Ex: Selene ®, Artemides 35®, Diane ®, Neovlar®, Femiane ®, Diminut®, Primera 20®, Primera 30®

 

  •          Bifásicas Combinadas: contêm dois tipos de comprimidos de diferentes cores, com os mesmos hormônios em proporções diferentes. Devem ser tomados na ordem indicada na embalagem. Ex: Gracial ®

 

  •          Trifásicas - contêm três tipos de comprimidos, de diferentes cores, com os mesmos hormônios em proporções diferentes. Devem ser tomados na ordem indicada na embalagem.

        Ex: Triquilar®, Trinordiol®

 

Posologia

                  No início do uso preferencialmente deve ser tomado a partir do primeiro dia da menstruação (a vinda da menstruação nos garante que não existe gravidez – a inexistência de gravidez é a condição fundamental para a mulher começar a tomar anticoncepcional).

                O horário de tomar o anticoncepcional deve ser “rigorosamente” seguido e as pílulas devem ser tomadas todos os dias no mesmo horário. Pequenas variações de minutos ou variações de até poucas horas, não tem problema, porém o ideal é ser pontual. Somente pode haver problema se o anticoncepcional for tomado com muitas horas de diferença.

- Pode trocar de horário de tomar suas pílulas, porém o ideal é que isso seja feito apenas a partir da primeira pílula de uma nova cartela.

                Orientar a tomar o anticoncepcional pela manhã, porque se houver esquecimento pode tomar a pílula esquecida assim que lembrar. Se tomar a noite vai se lembrar no outro dia e aí já se passaram muitas horas e toda vez que atrasar mais de 12 horas existe o risco de falha na proteção contra gravidez.

                Caso acontecer de esquecer em menos de 12 horas, tome na mesma hora, assim não será preciso nenhuma outra prevenção, mas após 12 horas tomar somente o do dia e usar outra forma de prevenção.

 

Modo correto de como ingerir:

  •          No primeiro mês de uso, ingerir o 1° comprimido no 1° dia do ciclo menstrual ou, no máximo, até o 5° dia.
  •          A seguir, a usuária deve ingerir um comprimido por dia até o término da cartela, sempre no mesmo horário.
  •          Ao final da cartela (21 dias), fazer pausa de 7 dias e iniciar nova cartela, independentemente, do dia de início do fluxo menstrual. Se a cartela tem 22 pílulas, descansar só 6 dias. Alguns tipos já possuem 7 dias de placebo, quando deve ocorrer o sangramento, não sendo necessário haver interrupção.
  •           Caso não ocorra a menstruação no intervalo entre as cartelas, a usuária deve iniciar uma nova cartela e procurar o serviço de saúde para descartar a hipótese de gravidez.

 

Mecanismo de Ação:

                Os anticoncepcionais são absorvidos no intestino e passam para a corrente sanguínea. Circulam e chegam aos ovários funcionam através de quatro principais mecanismos de ação:

  1.        Impedindo a ovulação
  2.        Modificando o muco cervical tornando-o hostil à migração dos espermatozoides
  3.        Alterando o endométrio (revestimento do útero)
  4.        Modificando a contratilidade das tubas interferindo no transporte do óvulo

 

Interação com medicamentos e álcool:

  • Antibiótico Rifampicina (tratamento Tuberculose e Hanseníase), os demais antibióticos não têm comprovação de interação segundo estudos atuais.

 

  • Álcool: causa aumento dos níveis de estradiol, podendo potencializar os efeitos colaterais a longo prazo dos anticoncepcionais, como tromboses e neoplasia de mama. A taxa de metabolização do álcool também fica reduzida em quem toma esses hormônios, fazendo com que o mesmo circule no sangue por mais tempo.

 

  • Drogas usadas no tratamento da epilepsia e da convulsão podem diminuir os efeitos dos anticoncepcionais. Entre eles, podemos citar: Fenitoína, Fenobarbital,  Carbamazepina, Primidona, Topiramato, Oxcarbazepina. Felizmente, existem outras classes de anticonvulsivantes que podem ser usadas juntos com os anticoncepcionais orais sem risco de interação. São eles: Gabapentina, Lamotrigina, Levetiracetam, Tiagabina, Ácido valproico.

 

  •           Erva de São João (Hipericum): não deve ser usado junto com a pílula, pois reduz a eficácia dos anticoncepcionais.

 

  •          Outros medicamentos:
    • Isotretinoína (Roacutan) pode reduzir a eficácia da pílula anticoncepcional. Pacientes sob tratamento com Roacutan devem usar, além da pílula, um método contraceptivo complementar, como a camisinha.
    • Varfarina:cuidado, pois a pílula diminui o efeito da Varfarina (anticoagulante)
    • Antirretrovirais usados no tratamento da Aids, como Nelfinavir, Nevirapine, Ritonavir, podem cortar a eficácia dos anticoncepcionais. As relações sexuais têm que ser com o uso de preservativos, tanto pelo risco de contaminação quanto para pelo risco de gravidez por falha da pílula.

 

Existem vários fatores que interferem na eficácia de até 50% dos métodos contraceptivos: náuseas, vômitos, diarréia, bebida alcoólica, tomar fora do horário, antibióticos, medicamentos antidepressivos, entre outros como: fenobarbital, Carbamazepina® e Tegretol®

 

Efeitos colaterais:

Como todo medicamento os anticoncepcionais também causam efeitos colaterais, durando no máximo até a cinco cartelas: náuseas, vômitos, dor de cabeça, sensibilidade na mama, sangramento desregulado, sangramento escape, amenorreia (ausência de menstruação) intencional ou não

  

Probióticos

 

O termo "probióticos" deriva do grego e significa "pró-vida". São micro-organismos vivos que ingeridos em quantidades adequadas trazem muitos benefícios à saúde do ser humano. Produzem efeitos positivos na saúde, já que vivem no intestino, ajudando na digestão de alimentos e disputando espaço com os micro-organismos patogênicos (prejudiciais).  Não permitem que haja colonização do intestino por essas bactérias, promovendo o equilíbrio da microbiota (flora) intestinal. Assim, exerce seus efeitos no aparelho digestivo, no trato respiratório, no trato urogenital ou em outros sistemas orgânicos.

 

probioticos

 


Qual a importância do equilíbrio da microbiota (flora) intestinal?
 

A flora intestinal, cientificamente chamada microbiota intestinal, é formada por cerca de 100 trilhões de micro-organismos, sendo que alguns são considerados “bons” para o ser humano, como os probióticos, e outros “prejudiciais”. O desequilíbrio dessa microbiota intestinal é chamado de Disbiose e resulta na diminuição das populações de micro-organismos “bons”, com consequente aumento da quantidade de micro-organismos “prejudiciais”.

Esse desequilíbrio é causado por diversos fatores, como: stress, má alimentação, antibióticos, doenças intestinais e idade avançada

 

A Disbiose está relacionada ao aparecimento de diversas doenças: diarréia, constipação, flatulência, alergia alimentar, doenças inflamatórias, depressão, apetite por doces, ganho ou perda de peso, aumento do colesterol, baixa imunidade, infecção urinária, micoses, acne, falta de memória, estresse, sintomas relacionados a falta de vitaminas entre outras.

 

  • Quando devemos consumir probióticos?

                São adequados para realizar a reposição e equilíbrio da flora intestinal; também para tratamento e prevenção de doenças, em distúrbios do metabolismo gastrointestinal e como imunomoduladores.. Deve-se consumir diariamente, associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

 

  • Mecanismo de ação dos probióticos?

                 O modo de ação dos probióticos não foi ainda completamente esclarecido, embora tenham sido sugeridos vários processos que podem atuar independentemente ou associados, entre eles:

- Alteração do pH intraluminal;

- Produção de substâncias com atividade antimicrobiana;

- Competição por nutrientes;

- Competição por receptores intestinais para adesão;

- Efeito imunomodulador;

- Restauração da alteração da permeabilidade intestinal (Morais e Jacob, 2006).

 

  • Qual a vantagem da administração de probióticos na forma de cápsulas?

                Para que o benefícios dos probióticos sejam alcançados pelo indivíduo, é necessário a ingestão de uma quantidade mínima de micro-organismos.

                A manutenção de altas populações de células probióticas viáveis em alimentos como queijos e iogurtes nem sempre é uma tarefa simples. Muitos fatores influenciam a viabilidade dos probióticos em alimentos, como por exemplo variações nas condições de armazenamento.

                A encapsulação dos probióticos é um processo tecnológico que concentra e protege os probióticos, oferece um grande potencial na proteção dos mesmos, colaborando, para que as células cheguem vivas e em altas concentrações no intestino humano. Outras vantagens são conferidas pela administração de probióticos em cápsulas:

• A cápsula fornece poucas calorias.

• Maior prazo de validade quando comparado a um iogurte ou queijo contendo probióticos.

• Praticidade no consumo.

• A ingestão de uma única cápsula fornece a necessidade de probiótico diária do indivíduo.      

 

Captura-de-tela-inteira-23042013-192800

Polypodium leucotomos

 

Polypodium leucotomos é uma planta originária da América central, também conhecida como anapsos apresenta propriedades anti-inflamatória, supressora de citocinas e inibidora de leucotrienos.

 

 polypodium-fern

 

PROPRIEDADES

  •          Anti-inflamatório;
  •          Estimulante cerebral;
  •          Fotoprotetor;
  •          Cicatrizante;
  •          Antioxidante;
  •          Imunomodulador, e também atividade antitumoral associada;
  •          Previne o fotoenvelhecimento;
  •          Protege o DNA celular (pois as mutações no DNA causam câncer).

 

INDICAÇÕES

Indicado para fotoproteção de uso oral, auxiliar no tratamento de demência senil, do tipo Mal de Alzheimer ou deterioração mental, psoríase, dermatites e previne o fotoenvelhecimento.

 

FOTOPROTETOR ORAL COM EFICÁCIA COMPROVADA

Os bloqueios físicos, a redução da exposição ao sol e o uso de filtros solares são os principais métodos utilizados atualmente para a fotoproteção. No entanto, fitoquímicos e extratos botânicos naturais, como o Polypodium leucotomos, comumente encontrado nas Américas Central e do Sul, têm demonstrado um potencial efeito fotoprotetor oral, sendo eficazes como adjuvantes na proteção contra o sol. Revisões da literatura abordando a eficácia fotoprotetora do Polypodium leucotomos demonstraram que sua suplementação por via oral age a níveis celular e molecular para aumento dos sistemas antioxidantes endógenos, inibindo a geração de espécies reativas de oxigênio, reduzindo as mutações no DNA UV-mediadas. O Polypodium leucotomos também tem demonstrado acelerar a remoção de fotoprodutos gerados pela radiação UV, o que ressalta sua atividade anticarcinogênica (CONSULFARMA).

 

CONCENTRAÇÃO RECOMENDADA

  • Fotoproteção: 240mg diários.
  • Mal de Alzheimer: 360mg diários.

 

REAÇÕES ADVERSAS

Até o momento não foram estudados efeitos colaterais.

 

259_1

 

Procure seu profissional de saúde e peça já sua formulação !!!